×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 62

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 815

domingo, 07 setembro 2014 00:00

Independência ou Morte – 7 Dicas para Votar Consciente

Written by

Está difícil escolher um candidato. Se você já vendeu seu voto por um adesivo no seu carro remunerado, segurar a placa de alguém que não conhece por mais um trocado, ou anda perguntando para o cabo eleitoral o que você vai ganhar se votar em tal candidato, esse artigo não é para você.

Segue Sete dicas para ajudar escolher um candidato e votar mais consciente. #AcordaBrasil

1 – Saiba todas as opções que você tem

Na Tv, os destaques são para aqueles que têm dinheiro para investir na Campanha. Muitos só têm tempo para um convite. E os candidatos com nomes estranhos acabam ficando mais na nossa memória. Para conhecer todos os candidatos e seus partidos, podendo selecionar por Estado, indicamos o site ELEIÇÕES 2014 – CLICA AQUI 

2 – Candidatos Ficha Limpa

Consulte os candidatos ficha limpa, e os que assim não são. Sabendo quem esses últimos apóiam após impugnados, dá para fazer um descarte. Portal TSE – CLICA AQUI http://divulgacand2014.tse.jus.br/divulga-cand-2014/menu/2014

3 – Conheçam as propostas de candidatos

Veja os projetos Leis que alguns candidatos já eleitos propuseram no Congresso, se tem um número significativo, se condiz com seus princípios, se não é só balela (como trocar nomes de ruas). Nesse site você pode buscar por nome do político, e participar dando sua opinião. É importante ler a proposta antes de opinar. Tomem como exemplo a “Lei da Palmada” que subentendia uma Lei que Proibia a Palmada, mas em seu texto original, essa palavra não é citada, e o assunto é muito mais complexo e efetivo. Lei aprovada, acertadamente mudou o nome, para então Lei Menino Bernardo.  

VOTE NA WEB – CLICA AQUI 

Para candidatos novos, e mesmo os antigos, vejam as propostas através se deus portais oficiais e dos debates. Os antigos, será que mantém as propostas, será que o discurso condiz com o feito? Fique ligado!

4 – Entendam antes de opinar

É importante antes de julgar os políticos, conhecer as políticas, para então analisar o que eles propõem. Como já citado acima, a confusão que foi interpretar a Lei da Palmada, agora Lei Menino Bernardo. Como Falar do Bolsa Família sem saber os critérios objetivos, como funciona? Como julgar quem tem a melhor proposta para o Pacto Federativo se esse termo não te diz nada? Como falar de novas leis, se não conhece as que existem, talvez o que esteja propondo já exista, é uma questão de exigir cumprimento. Como sair nas ruas com placas, gritos pedindo algo, sem saber exatamente o que quer, e novamente, se já não existe?

Leu, ouviu uma discussão? Faz uma breve busca, antes de sair opinando, ou pior, comprando brigas.

LEIA Também - Eleições 2014 – Vamos falar de Políticas, e não de Políticos – Entendendo o Pacto Federativo

#MaisPoliticasMenosPoliticos

5 – Faça um filtro antes de compartilhar informações

Esse item está muito ligado ao anterior. Não é porque alguém que você conhece postou uma notícia, e embora ela pareça séria, que é verídica. Muitas pessoas, não só no assunto política, compartilham notícias difamatórias. Além de passar adiante informações errôneas acaba sendo um atestado de sua ignorância, e de “Maria Vai com as outras”, principalmente quando a matéria alimenta alguma opinião pessoal acerca de algum político. Sites como o Efarsas http://www.e-farsas.com/  por exemplo são ótimos para verificar boatos, se eles são reais ou infundados. Ou coloquem o título no Google e veja se aparece alguma fonte segura, além de blogs ou portais com nomes desconhecidos. Quando a notícia cita rum autor, busque pelo nome do autor, esse pode sequer existir.

6 – Participe Ativamente

Sua participação vai além do seu voto, e da sua opinião no Facebook. Há vários canais de participação ativa dos eleitores. O Senado possui um espaço onde podemos opinar cada projeto Lei. E vimos como a manifestação popular em massa pode influenciar na votação, afinal nenhum candidato quer perder a empatia dos seus eleitores.

Portal e-Cidadania  - Acessar
Facebook www.facebook.com/ecidadaniaSF  Twitter www.twitter.com/e_cidadania

Formulário eletrônicowww.senado.leg.br/ouvidoria.

Ainda no Senado, temos as seguintes opções:

Telefone: pelo Alô Senado (0800 612211) ou deixando manifestação gravada em (61) 3303-1791 ou, ainda, para contatos institucionais, pelos números (61) 3303-5924 e (61) 3303-5928.

Carta : Senado Federal, Anexo 2, térreo, Sala da Ouvidoria, CEP 70165-900.

E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Pelo site www.senado.leg.br/alosenado, o Alô Senado recebe e encaminha mensagens, sugestões, opiniões e críticas aos destinatários; fornece informações básicas sobre a instituição, os senadores, os projetos de lei e os textos legais da esfera de atuação do Poder Legislativo federal.O contato com os gabinetes pode ser feito por telefone, fax, e-mail, carta ou pela página do senador na internet: http://bit.ly/contatoSenadores.

Pesquisa e opinião (DataSenado): o cidadão pode participar de pesquisas de opinião e enquetes, dar opinião sobre projetos e conhecer o resultado de pesquisas pelo site www.senado.leg.br/datasenado.

Projeto de lei de iniciativa popular: de acordo com a Constituição, a sociedade pode apresentar um projeto de lei ao Congresso, desde que a proposta seja assinada por, no mínimo, 1% do eleitorado nacional, distribuído pelo menos por cinco estados, com não menos de 0,3% dos eleitores de cada um deles. O formulário para recolher as assinaturas encontra-se emhttp://bit.ly/apoiamento.

Também é possível fazer uma sugestão pelo site http://bit.ly/ideiasLegislativas. A ideia é avaliada e, se atender os critérios, é publicada e fica disponível para apoio pelo prazo de quatro meses. Se receber a quantidade de apoios necessários (20 mil), a ideia será avaliada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa e poderá tramitar formalmente no Senado.

Ainda podemos participar através dos Conselhos Municipais. São Conselhos Gestores de Políticas Públicas. Na sua cidade há Conselhos que se reúnem mensalmente nas diferentes áreas – Saúde, Assistência Social, Educação... Esses Conselhos realizam anualmente Conferências. As propostas discutidas são levadas as Conferências Estaduais, e então ao âmbito Federal.  E novamente, só terá significado para os políticos, se essa participação for em massa. E justamente por poucos participarem, há uma sensação que esses Conselhos não passam de longas discussões e propostas perdidas. Procure saber na sua Prefeitura o calendário, e participe ao menos em uma área de abrangência que se identifique mais.

7 – VOTE

Vote, não deixe de votar, não justifique ou anule seu voto, que seja naquele que você acredita ser o “menos pior”, mas seja um sujeito ativo na sua sociedade. #VemParaAsUrnas

 

Temos uma nova chance, depois só daqui quatro anos. Poderemos até lá cobrar, e para isso não precisamos baixar o nível a irracionalidade com discussões improdutivas, ou quebrando patrimônio público. Política se discute sim, principalmente políticas públicas.

Vamos compartilhar essas dicas!

 

 

 

 

© 2008 Astraliza Entretenimentos. All Rights Reserved.

Please publish modules in offcanvas position.