×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 62

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 815

quarta, 20 fevereiro 2013 23:13

Fabio Assunção "A dificuldade em discernir o cordeiro do lobo, é a maior ditadura frente a uma suposta sabedoria em escolher as pessoas certas"

Written by

O ator Fábio Assunção, talento e eterno galã das telenovelas, tem emitido opiniões consistentes em seu perfil na rede social Facebook que vão da arte á política. Em sua publicação nesta quarta-feira, o ator fala de política, corrupção, fim do mundo, notícia do dia, esperança e fé. Os mais sensíveis verão na opinião, a emoção que muitos compartilham. Fábio consegue falar de muitas coisas ao mesmo, chegando a um denominador comum, sem perder-se e com muita coerência. Leiam:

"A democracia não se realiza exatamente onde achamos que ela existe. A nossa escolha não pode alterar a configuração do congresso ou do senado, como somos levados a acreditar com o "poder" do nosso voto, afinal a ignorância que temos em relação às entranhas da política, a dificuldade em discernir o cordeiro do lobo, é a maior ditadura frente a uma suposta sabedoria em escolher as pessoas certas. E existem as pessoas certas? Existem melhores caminhos? Não. Existe o seu caminho. O de cada um de nós.
Mas penso que estamos descobrindo a verdadeira democracia, estamos andando, em passos lentos, mas estamos. Não? 
Comecei esse ano achando que ele seria um ano incrível para o mundo, principalmente depois do simbólico fim do mundo do calendário Maia, em dezembro passado. Fui verdadeiramente levado à crença de que algum tipo de exaustão com tantas tragédias notificadas diariamente fosse impulsionar a imensa população do planeta a agir com mais serenidade e menos ambição. Isso, sincronizado com duas ou três coisas pessoais que aconteceram exatamente naquele dia, me "iluminou" e comecei a achar que se tratava de uma grande onda mística com poderes de alterar a coletividade. Continuo sim com uma boa sensação, no entanto, desde a virada do ano, com tantas coisas absurdas acontecendo tão rapidamente, tantas mortes e tanto sofrimento, tanto a natureza nos está ameaçando e por outro lado vi tantas coisas extraordinárias que percebi que esse seria meu verdadeiro voto, nossa democracia. 
Em que focar? Aonde situar minha energia? 
Vi por exemplo anteontem um menino especial que foi levado à praia porque finalmente, após 363 anos da invenção da cadeira de rodas por Stephen Farfler e 183 anos depois que Dom Pedro I concedeu a Joaquim a autorização para usar uma cadeira de rodas por dez anos, duas pessoas criaram uma esteira onde cadeirantes podem entrar na areia das praias do Rio. E, quando entrevistado para o JN, o menino brilhante e realizando seu prazer quase impossível, disse emocionado: "acabou meu jejum". Aquilo me espancou. Foi impactante demais. E eu então comecei a querer escrever para as pessoas de fé. Sem pieguice ou religiosidade, mas fé, é a nossa democracia. A fé é o verdadeiro poder em escolher quem e o que mandará no nosso país particular. Aqueles que são condenados ao jejum ou aquele que matou ou não o próprio pai. Meu voto é não ter que acompanhar mais as novelas dos que estão sendo julgados ou não por crimes hediondos apesar de ser uma novela perversamente irresistível, mas em votar em acabar com o jejum daqueles que tem o direito de viver decentemente com dignidade. 
É nisso que eu quero acreditar, quero a fé de que todos nós queremos isso. 
Eu continuo apostando na democracia e voto em não perder mais tempo votando no que não deu certo.
Claro que esse é um voto poderoso para pessoas poderosas mas eu chego lá. Quero o fim da impotente democracia ilusionista, inútil e mentirosa, com eleições do que significa demagogia. O fim da democracia que nos leva a realizar que o mundo é uma bosta ou que o melhor do mundo não é para aqueles que são considerados por alguns pessoas bostas, inaptas para o consumo.
Viva a vida! 
Os candidatos estão democraticamente escondidos para que seja difícil encontrá-los, mas vamos em frente. Independentemente de seus partidos, meu voto não é secreto.
20/02/13 - Fábio Assunção

Palavras de quem já teve a glória, caiu, foi julgado, por um lado aqueles que desistiram do mesmo, e por outro, os que tinham fé naquele que foi o príncipe das sonhadoras nos anos 80. Fábio, hoje maduro e consciente, é o próprio exemplo que a fé e o sonhos transformam e acontecem. Talvez os Maias ainda estejam certos, assim como você e todos que acreditaram no fim de uma Era, para inicio de outra, e se dizem que o mundo começou de um "bummm", o nosso planeta é grande, talvez demore, mas o que vemos são só cinzas se assentando, e um dia veremos os frutos de nossa fé.

Os seguidores se manifestaram. Veja dois dos comentários:

Fábio está em cartaz no Teatro com a peça "Adultérios", de Woody Allen (consulte em qual Teatro), e na Rede Globo no seriado "Entre Tapas e Beijos". Em seu perfil no Facebook adiciona apenas amigos, mas permite que o público assine para ver suas atualizações e interage com seus seguidores sem distinções. Pai apaixonado, também compartilha um pouco da sua vida pessoal.

Aos leitores, o espaço comentários está aberto para continuarem este artigo...

© 2008 Astraliza Entretenimentos. All Rights Reserved.

Please publish modules in offcanvas position.